Para Eliane e Zeca Sternberg, a paixão por doces, perfeccionismo, criatividade e perfeita harmonia no ambiente de trabalho são os principais ingredientes do sucesso da Torta Secreta, que mantém os melhores restaurantes da cidade como clientes fiéis há 28 anos.

A obsessão pela excelência leva a um grande investimento na escolha dos ingredientes e na higiene da linha de produção, aprovada constantemente por testes de laboratórios de qualidade, já que a Torta Secreta, além de restaurantes, abastece cozinhas industriais e empresariais, que exigem um rigoroso controle.

Ao longo dos anos, Eliane já fez um sem-número de cursos no exterior, mas várias técnicas e acessórios foram desenvolvidos em sua prática diária. As tortas individuais, por exemplo, foram criadas para facilitar a degustação feita pelos clientes.

Ao ver o novo formato, a clientela quis a novidade, além do tamanho tradicional. Para isso, foi desenvolvida toda uma linha de fôrmas em papel colorido, “como as de brigadeiro”. Hoje, o mercado já reproduziu a idéia, a ponto de copiar até as cores usadas por Eliane… Vários ingredientes são importados, com as amoras, frescas, vindas do Chile.

A fábrica, que há 28 anos abastece os melhores restaurantes da cidade, também desenvolve produtos exclusivos para seus clientes, como a torta de banana com gengibre e outros sucessos.  Como muitos restaurantes preferem que sua sobremesa seja considerada própria, a Torta Secreta mantém o sigilo.

Como surgiu

Tudo começou em uma viagem para o Egito, em 1989. Entramos Zeca e eu numa excursão e paramos em uma fábrica de papiro.

Entre compras e licores pedi um café turco. O dono veio me servir e quando terminei ele perguntou se podia ler a borra (resíduo de pó que fica no fundo da xícara).

E as palavras dele foram:

Que mudaríamos de business

Que ganharíamos dinheiro

Que continuaríamos trabalhando juntos

Esquecemos as profecias do Egito e seguimos viagem. Chegando a Grécia, nosso hotel ficava em cima de uma delicatessem. Zeca ficou louco pelo mousse de chocolate. Não deixei ele comer e ele diz até hoje que cortei o barato dele, mas… No dia seguinte fizemos um cruzeiro e ao andarmos pela Ilha de Hidra, o que vimos? A mesma mousse!! Não tinha como escapar. Parecíamos crianças, uma colher para cada até rasparmos o bowl.

Zeca me perguntava: Eliane você sabe fazer esse doce? Respondi: Faço igualzinho!

No dia seguinte a nossa volta para casa, Zeca entrou com uma caixa com 300 taças e disse: Agora quero ver!!

Começamos com três restaurantes – Castrinho, Luiza Salads e Raul Pizzaria. No final da semana já compravam 50 gregas cada. Em um mês o apartamento cheirava a chocolate e assim nasceu a Torta Secreta.

Eliane Sternberg